Aprender com a biblioteca escolar

Aprender com a BE

Vivemos uma época de profunda mudança, fortemente marcada pela revolução tecnológica e digital e com grande impacto em todos os domínios da vida social, designadamente na educação e na escola.

Para serem bem sucedidos na sua vida pessoal, escolar e profissional, os jovens têm hoje, não só de dominar os saberes convencionais, como um conjunto de novas competências de literacia, cada vez mais complexas e variadas.

A preocupação face a estas exigências, tem determinado a colocação na agenda das instituições educativas, de novos quadros de referência sobre as aprendizagens dos alunos que hoje cabe à escola garantir, sendo de assinalar a integração curricular nestes quadros, de um conjunto de conhecimentos e capacidades transversais, considerados nucleares no nosso tempo.

Leia mais

Na área específica das bibliotecas, estes referenciais têm também sido abundantes e revelado uma grande evolução no seu âmbito e base conceptual, paralela à confluência da informação com as novas tecnologias, média e ambientes digitais e ao peso crescente das bibliotecas nos domínios da leitura e destas literacias.

As bibliotecas escolares são, pelas condições de acolhimento, acesso à informação e possibilidades de aprendizagem que facultam, um recurso privilegiado das escolas para responder a estes desafios.

Foi esta convicção do papel que as bibliotecas podem desempenhar no desenvolvimento da literacia da leitura, dos média e da informação e no uso crítico e criativo das tecnologias, que motivaram a elaboração, pela Rede de Bibliotecas Escolares, de um referencial de aprendizagens associado ao trabalho das bibliotecas escolares.

O documento, intitulado Aprender com a biblioteca escolar, surge na senda dos movimentos de carácter geral referidos e da publicação, em Portugal, das Metas curriculares, para as quais pretende contribuir, através de um conjunto de indicadores, atividades e estratégias de aprendizagem de carácter transversal, essenciais à afirmação de uma cultura de ensino e aprendizagem que vá ao encontro das necessidades dos alunos do século XXI.

O documento constitui-se como um instrumento de trabalho em aberto, estando prevista a sua utilização experimental, em 2012-13, apenas num conjunto limitado de escolas piloto, já selecionadas.

Paralelamente, procede-se à divulgação geral do mesmo, oferecendo a todos a possibilidade de o explorarem de forma voluntária e livre, caso o desejem fazer.


Veja também:
Aprender com a biblioteca escolar;
Aprender com a biblioteca escolar: enquadramento e conceção;
Aprender com a biblioteca escolar: apresentação;
Aprender com a biblioteca escolar: relatório 2012.13;
Aprender com a biblioteca escolar: relatório 2013.14.
NOTÍCIAS